É PRECISO LEMBRAR SEMPRE...

Eu preciso de ti, Anjo!

* Alberto Meneguzzi

 

Sei exatamente o que você passa quando não lhe acolhem, não lhe instruem e muito menos quando nem lhe dão bola.

Sei como você fica quando convida todo mundo para uma reunião, ou um encontro de formação, retiro, celebração e poucos aparecem.

Já te vi triste e já te vi até chorando por causa disso.  

De fato, você aceitou uma missão desafiadora.  

Ser catequista não é uma tarefa fácil, ainda mais, num mundo onde as pessoas não querem compromissos e se afastam das responsabilidades.

Sei que você teria muitas outras coisas para fazer, atividades com a família, trabalho, vida social, filhos, marido, ou, outras situações.

Mas, mesmo assim, você aceitou o desafio de encaminhar outras pessoas para um projeto diferente.

Sua tarefa também é motivar, mas já te vi muitas vezes desmotivada.

Compreendo isso. Nem sempre os outros entendem tuas limitações.

Fazem julgamentos a seu respeito, apressados até, por causa desse seu jeito irrequieto. Mas, se eu pudesse estar mais perto, sentaria na sua frente, te olharia nos olhos, e te daria um abraço.

Sabe aqueles abraços que os amigos se dão nuns nos outros nos momentos de deserto ou de extrema euforia? Este mesmo! Você anda precisando de um abraço.

Queria ficar um bom tempo te abraçando, afagando, confortando o seu cansaço, enxugando as suas lágrimas e dividindo os seus êxitos.

Queria ser seu confidente, mas nem sempre você lembra que eu existo.

Sinto que você tem muitas coisas para me dizer, mas tem guardado tantas coisas só para si.

Quem sabe você se abre mais com alguém que você confia.

É bom se abrir, contar as coisas, dizer o que você sente e se fazer ouvir.

Todos nós temos nossos momentos de fraqueza. Eu mesmo tive os meus, e muitos.  

Quando vejo você em ação, na catequese, dou risadas interiores.

No fundo, você se parece muito comigo.

Quer as coisas certas, luta para que os outros se empenhem, busca tocar corações e motivar pessoas, tenta organizar tudo certinho, mas nem sempre as coisas funcionam como você gostaria que funcionassem.  

Meu anjo! O problema é que o nosso tempo não é o mesmo tempo que o Pai que está no céu imagina para cada um de nós.

Por isso, nos apressamos, queremos as coisas para ontem e com isso, atropelamos.

Quero dizer que estamos juntos nesta missão.

Você é fundamental para o trabalho da catequese e ela é essencial para a Igreja.

Não te importes com os incomodados, com aqueles que te julgam sem ao mesmo oferecer um ombro amigo, ou uma ajuda concreta.

Não te abales com os que falam de ti pelos corredores, sem a coragem necessária para te olhar nos olhos.

Não chores com os que te apunhalam pelas costas quando deveriam caminhar ao teu lado e não esmoreça diante das piores provações que esta missão te impõe.

Não te humilhes para pais de crianças e jovens desinteressados pelo que você tem  para oferecer como catequista.

Agradeça, simplesmente agradeça, em qualquer situação. Reze por eles.

Ajoelhe e ore nos momentos de tribulação e faça a mesma coisa quando tudo estiver dando certo.

Peça ajuda, tenha humildade para recomeçar e remontar projetos, mudar rumos, reconhecer erros, pedir desculpas.

Sem isso, meu anjo, as coisas não funcionam.

Embora não esteja ao teu lado fisicamente, torço por ti, pois és importante para mim e me emociono  em ver o teu esforço.

É lindo saber que existem pessoas como você.

É lindo observar a tua emoção, mesmo nas coisas mais simples. Isso me conforta e me anima.

E por isso, tão somente por isso, que te mando esta mensagem, para que através de ti, e do teu esforço e da tua paixão pela sua missão, outros tantos sejam tocados e sigam firmes no caminho.

Tenha calma, aquieta o teu espírito. Em breve estaremos juntos.

Darei-te meu abraço e meu afago, de forma carinhosa, como quem é grato.

Você é um anjo para muitas pessoas, inclusive para mim.

Eu, daqui de onde estou, zelo por ti.

Obrigado por acreditar na catequese. Obrigado por ser catequista.

 

Assinado: Jesus Cristo