Catequista Amadora
banner,blog,lirio


Parabéns Simoni!

HOJE É ANIVERSÁRIO DA SIMONI!!

Catequista querida de São João Del Rey! Dias intensos de felicidade para você!

Saudade imensa do nosso encontro ano passado!

E para você uma música!

http://mais.uol.com.br/view/12080839

Acho essa música linda... mas esqueça as partes tristes e lembre só dessas frases:

É impossível esquecer você...

É impossível esquecer o que vivi, o que senti... É impossível...

Beijos minha querida e que Deus te abençoe sempre!!



Escrito por Angela Rocha às 21h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Pensamento e propósitos

BOM DIA! Meu caros amigos leitores, a mudança está cada vez mais próxima!

Nem que seja de servidor de internet! O UOL continua tornando minha vida um caos. A última: não consigo me comunicar com ninguém que tenha endereço do Yahoo... Ligo lá e me dizem que está tudo normal... Valha-me Tiago Alberione! Não dá, não dá pra se comunicar assim!

Mas falando em mudanças, preciso mesmo mudar algumas coisinhas em minha vida... E a gente posterga, mas chega uma hora que simplesmente não dá mais! Preciso ser mais dinâmica e pró-ativa. Preciso ser mais determinada e organizada. Preciso criar uma rotina de trabalho. Mas você nem trabalha! É verdade. Nem trabalho fora... Mas "dentro"... é outra história!

Fica aqui um pensamento de nosso filósofo Kant:

"Toda reforma interior e toda mudança para melhor dependem exclusivamente da aplicação do nosso próprio esforço."




Escrito por Angela Rocha às 07h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Agradecimento...

Quero agradecer a todos que me felicitaram pelo nosso aniversário de 25 anos de casamento.

E aos que não também, porque se soubessem, sei que teriam feito... rsrsrs... Não raro a gente passa batido mesmo!

E as vezes penso que, como o Alberto brincou, quem merece parabéns é o Paulo por me suportar tanto tempo... rsrsr... Ou como disse minha amiga Rose, o Paulo merece os parabéns por ter achado alguém especial como eu... rsrsrsr... Perdoei o Alberto porque depois ele me mandou um abraço no programa da rádio e me elogiou um monte...  E acho que a Rose não me conhece direito... rsrsr...


E na terça-feira fomos a missa e coloquei nas intenções a Ação de Graças pelo nosso matrimônio. E no fim da missa, antes da benção final, o padre nos chamou lá na frente do altar... "
Vem cá Paulo, vem cá Angela."... O Paulo não é dado muito a essas coisas, a metida aqui sou eu... Mas ele foi...

O padre fez uma preleção bonita dizendo o quanto é importante esses exemplos para a comunidade. E disse também que, mesmo com a desvalorização deste sacramento hoje em dia, ele tem feito muitas bênçãos por aniversários de casamento, o que mostra que ainda existem muitos casais felizes.


E lá no altar, Pe. José segurou nossas mãos juntas e abençou as nossas quatro alianças... Sim, quatro, porque as duas que tinhamos e que ficaram apertadas (engordamos um "pouquinho" ao longo dos anos) eu mandei juntar num aparador e uso junto com a aliança atual. E numa bonita bênção renovamos nossas promessas. Maria Paula que estava conosco, também nos abençoou. Eu fiquei tocada de fato... choro até quando recebo os respingos de água benta... Foi emocionante... Acho que mais até do que no meu casamento! Porque lá eu era uma menina deslumbrada que nem sabia o que queria...

Agora refiz as promessas sem qualquer incerteza de futuro... Sei que vou ser fiel, amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza... a esse homem, até que a morte nos separe. E confio plenamente que ele pensa como eu. Nada mais simples e maravilhoso...

Obrigado meus amigos por partilharem comigo isso...

Ah... e não tirei foto nenhuma. Ia estragar a beleza do momento. Ficou gravado em meu coração para sempre.



Escrito por Angela Rocha às 13h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Fazendo "Angu"

Bem depois de muita discussão, resolvi deixar o mundo aparentemente "cor-de-rosa", em paz... Chega de dar minha opinião sobre tudo, alertar sobre erros e equívocos e querer consertar o que não tem conserto. As vezes acho que levo a sério demais a missão de catequista... Nos últimos dias briguei pelo auxílio-reclusão, pela greve dos carteiros e pela seriedade do blogs de catequese! Só isso... rsrsrrs...

Como saí dessas "brigas" todas? Com a sensação de que não deveria ter entrado!

Primeiro que as pessoas preferem acreditar em tudo que algum e-mail idiota, que nunca tem o autor, diz, do que procurar a informação em fontes confiáveis. Depois que julgar o que o outro ganha como "muito" sem conhecer a realidade das classes trabalhadoras é muito fácil. O stress para explicar que devemos ser solidários, unidos, etc e tal... foi demais. E olha que tentei explicar isso pra gente que se diz cristão católico! Vi que aquele ditado que diz que "Pimenta nos olhos dos outros é refresco", é a mais pura verdade.

Agora, stress mesmo é a história dos blogs... Vamos deixar isso pra lá. Que o público julgue por si mesmo.

Quanto a mim, vou tratar de fazer coisas mais elevadas, como dar minha receita de Angu, por exempo.

Angu para quem não sabe é uma "papa" feita de fubá. Pode ser feito de farinha de mandioca também, mas o nome aí é "pirão" e não angu. Podemos classificar a polenta italiana como angu também, já que é feita de fubá. Mas a diferença é que o angu tem uma consistência mais mole e as carnes ou miúdos entram no seu preparo e não num molho a parte como na polenta.

Quando eu era criança comi muito angu.  Normalmente ele era feito de farinha de milho torrada (biju), muito alho, cebola cheiro verde e um ou dois ovos quebrados quando a panela fervia. Também podia ser feito de farinha de mandioca torrada e acrescentava-se caldo de feijão. Miúdos de frango eram acrescentados em épocas mais "gordas".

Mas o angu que faço hoje tem "requintes" que minha infância não permitia: bacon, linguiça calabresa ou paio e couve. Vamos lá, vamos deixar de fazer "angu" nas redes sociais e fazer angu no fogão.

 

RECEITA DE ANGU

- 3 ou 4 dentes de alho (quanto mais melhor, mas depende do gosto);

- 1 cebola cortada em cubinhos;

- 100 gr Bacom cortado em pedacinho pequenos;

- 200 gr de linguiça calabresa ou paio;

- 100 gr de fubá;

- 3 ou 4 folhas de couve;

- Cheiro verde;

- Sal e pimenta agosto

Coloque o bacon na panela e quando juntar gordura coloque o alho e a cebola para fritar. Em seguida coloque a linguiça para fritar também. Acrescente água fria, dois litros mais ou menos. Antes que levante fervura coloque o fubá (umas 100 gr ou mais) para não encaroçar. Mexa até dissolver bem o fubá. Coloque sal e pimenta a gosto. Use fubá pré-cozido, é mais rápido. O angu deve ficar ralo. Quando estiver quase cozido acrescente folhas de couve picadas em pedacinhos e cheiro verde a gosto. Cuidado na quantidade de fubá, senão você acaba fazendo uma polenta! A consistência é de uma sopa mesmo.



Escrito por Angela Rocha às 23h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Comentários...

Comentários interessantes que recebi no texto sobre "A dinãmica do Blog":

[Darlene] [Passa Quatro-MG]

Eu concordo com você, nós precisamos de blogs que realmente sejam fontes de pesquisa e que nos ajudem a crescer como catequistas que representam a igreja. Porque na maioria das vezes somos nós mesmos que temos que procurar meios pra crescermos e tem muita coisa escrita por aí que não acrescenta em nada. E as vezes ainda nos prejudicam, confundem nossa cabeça.

13/09/2011 13:53


[tania] [Taboao da Serra-SP]

Ângela! muito bom o que vc escreveu. Sou uma como digo "bebê catequista" apenas engatinhando na catequese. Tem 4 anos que fui chamada, despertei e desde então tenho uma sede de evangelizar muito grande, no começo os blogs me ajudavam muito e hj como vc mesma colocou nem tudo se aproveita. Esta semana uma catequista da pré-catequese veio me pedir fontes, pois estava precisando de material. O engraçado é que mandei os links, mas alertando ela a respeito da mistura de doutrinas, coisa da Nova Era que estão cada dia mais infiltrada nos blogs. Parabéns pela atitude de postar um texto assim, pois vejo que vc é uma catequista que fala em nome da Igreja católica e não fala por si.

13/09/2011 09:51


[IVANI ALVES RODRIGUES DA SILVA] [Igaratinga/Mg/Brasil]

Alguém precisava ter coragem para dizer isso. As vezes a gente até entra no jogo, pois tudo nos leva a crer que o errado é que é o certo. Somos cobrados o tempo todo a deixar recadinhos, colar selinhos e outras coisas mais. Triste é quando a gente busca ajuda para nosso trabalho semanal na catequese e não encontramos quase nada de importante, pois falta criatividade, espiritualidade, ardor missionário e sobra futilidades. Verdade tem que ser dita, doa a quem doer.

11/09/2011 21:54

Abençoadas meninas! Vocês estão absolutamente certas!

 



Escrito por Angela Rocha às 18h49
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Salmo

Salmo de ontem , dia 13. Dia em que comemoramos nossas Bodas de Prata:

Viverei na pureza do meu coração!

Eu quero cantar o amor e a justiça, cantar os meus hinos a vós, ó Senhor! Desejo trilhar o caminho do bem, mas quando vireis até mim, ó Senhor?

Viverei na pureza do meu coração!

Viverei na pureza do meu coração, no meio de toda a minha família. Diante dos olhos eu nunca terei qualquer coisa má, injustiça ou pecado.
Viverei na pureza do meu coração!

Farei que se cale diante de mim quem é falso e às ocultas difama seu próximo; o coração orgulhoso, o olhar arrogante não vou suportar e não quero nem ver.

Viverei na pureza do meu coração!
Aos fiéis desta terra eu volto meus olhos; que eles estejam bem perto de mim! Aquele que vive fazendo o bem será meu ministro, será meu amigo.

Viverei na pureza do meu coração!



Escrito por Angela Rocha às 07h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Sempre é melhor estar junto...



Escrito por Angela Rocha às 07h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O primeiro olhar...



Escrito por Angela Rocha às 12h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




AMOR AO PÉ DO ALTAR

Um texto lindo de Padre Zezinho com o qual presentei o meu marido hoje:

 

 

AMOR AO PÉ DO ALTAR


 

Existem rios que não secam, nem suas águas diminuem, porque de onde eles fluem, há uma fonte perene. Existem riachos tão limpos, que mesmo se alguém os turva em pouco tempo se limpam. Seu leito não vem da lama.

 

Existem amores tristes que já nem mais são amores. Não deu certo aquele sim. Arrastam sua existência sem saber qual o seu fim.

 

Eu, por mim, ainda creio nos amores mais serenos, que não nascem de repente, e foram cultivados, passo a passo, palmo a palmo, tranqüilos e sem venenos, pensados, dialogados, orados e acompanhados. Amores sem ameaças, sem “dá cá” “quero o que é meu”. E que não são possessivos, porque o “nós” é mais que o “eu”.

 

Existem amores puros, bonitos de a gente ver. Dá pra ver que tem ternura, paciência e mansidão. Cede ela, cede ele, e quem tiver que ceder, mas ninguém é derrotado , pois não é competição.

 

O amor quando é delícia, tem um pouco de malícia, pois não é amor ingênuo, mas tem seu lado inocente, insistente , persistente, de apostar que vai dar certo , se o outro estiver por perto, mesmo que venham problemas. O amor supera os dilemas.

 

Existem amores santos, voltados para o infinito. É o amor mais bonito que se possa imaginar. Os dois se querem com fome, sonham misturar seus nomes, seus corpos e corações. Sonham gerar novas vidas, querem ser parte de um todo. Pois acreditam que o céu tem algo a ver com os dois. Alguém maior do que tudo queria os dois numa carne, num encontro de ternura , mergulho de sentimentos, coisa de almas maduras.

 

Existem bons casamentos e casamentos feridos. Bons quando os dois conseguem ser esposa e ser marido. Feridos se um deles erra, e às vezes os dois erraram. Ele não é para ela , e nem ela é para ele a paz que tanto sonharam. Não deu certo aquela casa, rachou, fendeu, não protege, não tem mais chance nenhuma, não progrediu, não se rege. Uma das vigas da casa, algumas vezes as duas, perderam a sua força , não tiveram paciência. Perderam a inocência, não souberam suportar. E destelharam a casa, foram fundar outro lar.

 

Felizes aquelas almas que ainda sonham bonito, dentro de um sonho infinito maior que os dois sonhadores. Pois estes são os amores que acabam dando certo. É que eles sonham de perto, um vendo o outro sonhar e o sonho é tão delicioso, que na hora de acordar querem sonhar mais um pouco. De sonhos e de esperanças , e de bem-aventuranças, de perdão e sacrifícios, de paciência e ternura e do colo um do outro o casamento foi feito.

 

Mas se vai embora a ternura, e vem as palavras duras, as exigências terríveis e as cobranças impossíveis, “Você não faz nada por mim”, “Me prove que ainda me ama”, “Não vale a pena esta cama”, “Não vale a pena nós dois”, “Você não é mais aquela”, “Você que não é aquele”... Acabou o sentimento, acabou o casamento, o barco está soçobrando, um dos dois está sobrando, o amor não está queimando e nem mesmo há fogo brando. Aí a gente se assusta, pois quando um amor se apaga duas estrelas se apagam no céu da comunidade. Por mais que se reacendam em qualquer outro lugar fica a lembrança do barco que não conseguiu chegar.

 

Que o amor de vocês dois, que é feito de tantos sonhos tenha um futuro risonho, e se surgirem dilemas, não importam os problemas, vocês irão resolver.

 

Com meus amigos eu acho que vocês dois são riachos cujo encontro foi perfeito, foram limando os defeitos e o que sobrou é bonito, há um amor infinito, brilhando agora nos dois. E a gente que veio à festa, lhes dá um beijo na testa, e os abençoa serena. Amor assim vale a pena. Sejam felizes pra sempre.

 

Se não pedir demais, arranjem um, dois ou mais queridos como vocês, pois onde houver dois ou três, Jesus vai estar no meio. Foi pra isso que Ele veio, pra santificar a gente.

 

Parabéns, vocês se amam. Coragem, vão precisar. Mas do jeito que se amam, continuem a sonhar. Tem Deus neste casamento. Por isso é um sacramento!

 

Autor: Pe. Zezinho

 



Escrito por Angela Rocha às 08h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Promessas...

Bom dia, meus amigos!

Acordei hoje às seis horas como acordo todos os dias... Um pouco triste na verdade...

Hoje é um dia como todos os outros, uma terça-feira como todas as outras terças...

Exceto pelo fato de que hoje, eu e o Paulo, completamos vinte e cinco anos de casamento.

Também não é algo tão diferente assim dos outros 13 de setembro que já passamos juntos... A não ser pelo fato de que “vinte e cinco anos” tem o título de “Bodas de Prata”. Uma espécie de "marco" no tempo dizendo que se venceu muita coisa numa união entre duas pessoas.

Claro que todas as datas e aniversários são importantes para os casais. Mas enquanto as comemorações dos primeiros aniversários de casamento passam-se na intimidade, em geral as bodas maiores assumem um caráter mais social. É quando a comemoração exige maior brilho e maior destaque. Em geral, não só a família, mas todos os amigos são convocados para participar do acontecimento.

E este é claro, é o meu desejo...

Mas nem sempre o que se quer, se pode ter...

Além do fato de querer comemorar junto com minha família e amigos, tenho em meu coração um grande desejo de renovar os meus votos. Sim porque a palavra “boda” devirá do latim votum, que significa promessa.

Religiosamente falando, o casamento é a promessa por excelência. Não há nada mais sagrado que prometer diante de Deus e do altar consagrado, que se dedicará a vida a outro ser humano, amando, respeitando até que a morte os separe. Uma promessa para toda a vida, com certeza.

Eu tinha vinte anos quando me casei, acho que não sabia direito o que estava fazendo... Além de ter me casado numa cerimônia rápida naquilo que a Igreja chama de “casamento comunitário”. Minhas lembranças desse dia são mais cômicas que emocionais. Só participando de um casamento comunitário para se ter uma idéia do que estou falando...

Como uma das noivas que tinha um cabelo tão espetado por cima da grinalda que parecia que nunca tinha penteado o cabelo. Ou então do pai que esteve toda a cerimônia no altar ao lado da filha para garantir que o noivo não fugiria. E a que parecia estar prestes a dar a luz, resplandecente num vestido longo e branco, véu, grinalda e todo o aparato virginal de uma noiva...

Mas o que sempre causou risos em nossas lembranças familiares foi o fato do padre ter dito ao Paulo, num dos solenes momentos:

- Paulo, aceita Terezinha como sua legítima esposa?...

- É Ângela, padre!

- Ah, desculpe...

E eu sempre digo ao Paulo que, com um pouco mais de distração, ele não teria se casado comigo...

Mas, minha tristeza vem do fato de que, por uma série de coisas, não vamos poder comemorar de verdade esta data. Sendo assim, decidi que esse não será os “vinte e cinco”. Será talvez uns 24 e meio... Deixemos os vinte e cinco para o 26, 27... 30. Quando for possível.

Mas uma coisa não preciso renovar: O amor que sinto por meu marido. O carinho, a afeição, a amizade. Paulo é, e sempre foi, meu melhor amigo. Aquele que me escuta sempre, me apóia, me ama e me chama de linda em momentos que me sinto a bruxa Meméia. Passamos por muita coisa juntos. Boas e ruins. Maravilhosas e péssimas. Mas nossa união resistiu e resiste a tudo.

Posso até não ter prestado muito atenção lá no dia do meu casamento (com tanta coisa interessante para ver), mas uma coisa calou fundo em meu coração: “O que Deus uniu, o homem não separa!”. Claro que todo casal escuta isso e nem por isso permanecem juntos. É a vida, são todas as coisas que nos põe a prova.

E também não posso dar receita de casamento feliz. Não é algo que se prepare feito bolo. Porque cada um deles tem ingredientes diferentes... O bolo nunca é igual. Existe a “temperatura” ideal, o ingrediente secreto, o tempo para que se acomode (assar), o lugar perfeito (forno), é preciso até saber saborear lá no final, enfim...

Fica aqui meu desejo, de que possamos todos os dias, olhar nos olhos um do outro e enxergar ali a promessa de Deus de que nunca nos separará. Talvez um dia nesta vida terrena, mas nunca na eternidade.



Escrito por Angela Rocha às 07h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Relatório da Semana...

BOM DIA!

Esta última semana foi corrida! Além de ter a visita de minhas queridas sobrinhas de Ribeirão Preto, fiz hidroterapia duas vezes e fisioterapia mais duas... Foi realmente para "quebrar"... rsrrsrsr...

E ainda fiz serviço voluntário na sexta... E como meu amigo Joseilton do blog da CNBB está meio doente, fiquei praticamente sozinha com o blog... O que fez com que o meu ficasse meio abandonado. Coisa que "resolvi", enchendo meus leitores no final de semana... rsrsrsr... Isso porque ainda fui até Califórina no sábado no aniversário deste fofo lindinho de olhos azuis, meu sobrinho, Marco Otávio, filho da minha sobrinha e afilhada (Nossa, sou tia-avó!):

Não é demais? rsrsrrsr...

Mas esta semana vou me dedicar mais ao meu "espaço". Prometo!

Uma semana maravilhosa e frutuosa a todos...



Escrito por Angela Rocha às 08h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Que a Imensidão de Deus, descortine a grandeza de valores...

Um presente com a sensibilidade de minha amiga Luceli!



Escrito por Angela Rocha às 23h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A dinâmica do blog

Gostaria aqui de fazer um alerta a quem se propõe hoje, a ter um blog de catequese.

Em síntese, um blog é um “diário” na web. Normalmente possui um foco ou uma temática, apesar de que, muitas pessoas o utilizam como um diário mesmo, expressando suas opiniões ou falando de qualquer assunto. Neste terceiro milênio, muito longe se ser apenas uma ferramenta de comunicação, a internet ou web, tornou-se um “mundo” além daquele, “real”, em que vivemos. É o mundo “virtual”. Aqui vivem, quase que literalmente, muitas pessoas; proliferam-se idéias, disseminam-se informações e criam-se novas “crenças” todos os dias. E o blog é apenas uma das formas de “fazer” parte deste mundo.

E esse mundo precisa ser “evangelizado” também. As pessoas já não saem mais tanto de casa, já não se permitem tanto contato físico e relações de olho no olho. Quem quer evangelizar e levar o Projeto de Jesus ao mundo, precisa, portanto, estar na web. Por permitir atualização rápida, ser de fácil utilização e interação com leitores; o blog vem sendo utilizado por muitos catequistas para esse fim. É uma maneira muito eficiente de divulgar conteúdos, partilhar experiências e espalhar a mensagem cristã.

No entanto, o que tenho percebido ultimamente nos blogs de catequese, é que eles estão se afastando de seus objetivos primários. Hoje encontramos inúmeras associações de blogueiros. Com os catequistas não poderia ser diferentes. Claro que unindo-se é bem mais fácil divulgar conteúdos e disseminar os valores cristãos. Mas essa união está sendo desvirtuada. Não raro encontramos blogs cujo objetivo maior é angariar seguidores e aumentar o número de acessos. Para “ver o que”, não está importando muito. As associações de blogueiros não fazem outra coisa que não seja distribuir “selinhos” entre si e fazer promoção para aumentar o número de visitantes.

Participando de um grupo por mais de seis meses, chega-se a um ponto em que já não há mais espaço no layout do blog para colocar tanto banner e selo. E o blog começa a ficar poluído visualmente. Sem falar no já excesso de cores e imagens. E os posts não falam de outra coisa que não seja “promoção” disso, divulgação daquilo... Isso é evangelizar?

Outra coisa que se observa, é que não há muita preocupação com o “conteúdo” dos posts e nem com a responsabilidade de se estar representando uma instituição. Se no meu perfil eu digo que sou “católica”, “catequista” e este blog é para “evangelização”; devo, primariamente, obedecer a essas diretrizes. Se sou católica, meus conteúdos devem ser orientados pelas doutrinas e normas da minha Igreja. Se sou catequista devo, antes de tudo, ser exemplo; se evangelizo, tenho o compromisso de buscar a Palavra de Deus e o Evangelho como orientação de minha conduta. Tem-se “copiado” e “colado” muita coisa da internet, de outros blogs, sem se verificar a fonte e, às vezes, nem o conteúdo!

O que pensa um internauta ao acessar um blog de um catequista católico e imediatamente escutar música evangélica? Nada contra música evangélica. A música é uma forma de louvar a Deus. Eu escuto música evangélica, já coloquei música evangélica em meu blog em homenagem a amigos. Mas se tivesse música de fundo em meu blog, ela seria católica. E textos sem a fonte ou a autoria? Se não sei eu digo e se duvido, eu pesquiso.

É preciso tomar cuidado também na sugestão de leitura, textos, sites... A doutrina espírita, por exemplo, é muito parecida com a católica. A maioria dos espíritas, é cristã. Mas um católico NÃO ACREDITA EM REENCARNAÇÃO! Caso use um texto, refira-se sempre aos NOSSOS VALORES E CRENÇAS! Assim como no ambão da Igreja somos a voz da nossa Igreja, na internet, como catequistas, somos o rosto da nossa Igreja!

Quando decidimos divulgar no blog da CNBB os sites dos catequistas que atuam na web, em princípio, veio um alerta: “E se o que eles colocam lá não for recomendável?”. Foi pedido que se fizesse uma “certificação”, uma análise criteriosa. Eu refutei, “Eles são catequistas em nossas paróquias! Se podem falar lá, representar a Igreja lá, nas suas comunidades, então podem fazê-lo aqui.” São mais de 15 mil catequistas no cadastro da CNBB, é preciso interar-se com eles, dar voz, canal, vez, a essas iniciativas abençoadas. E temos recebido um retorno maravilhoso de quem acessa o blog. D. Eugênio, que deixou a presidência da comissão este ano, elogiou o blog como uma das melhores iniciativas da comissão.

Só que, junto com todas as coisas boas que tem acontecido, tenho recebido comentários dizendo que: tem blog com música evangélica, que tem blog divulgando textos espíritas, e leitores dizendo que os catequistas blogueiros só fazem espalhar “selinhos” entre eles... Sem falar que eu mesma já estou perdida no meio de tanta promoção, sorteio, distribuição de selo disso, daquilo...

E na minha concepção, “Selo” é algo que certifica, que dá qualidade. Não estou dizendo que os blogs não têm qualidade. Só estou dizendo que para “certificar” algo ou alguém, no mínimo, devemos ter “autoridade” para isso! Com que critérios se certifica a qualidade de alguma coisa? O que se deve saber ou, que experiência se precisa ter, para determinar se um blog tem ou não relevância na evangelização? Podem me malhar a vontade mas, os blogs estão distribuindo “selos” pro aí apenas para aumentar a “audiência”. E estão esquecendo de se preocupar com aquilo que deveriam: a “mensagem”!

Estamos pensando, no blog da CNBB em lançar um “Selo” de certificação e aprovação para as iniciativas de evangelização na Web. E para isso vamos nos reunir e determinar que critérios serão utilizados. É um assunto muito sério. E posso garantir que indicar mais dez blogs e enfiar um banner na lateral do blog, nem passa perto de ser critério.

Um apelo a todos os catequistas blogueiros: Preocupem-se mais com a “mensagem”; do que se estão ou não, tendo mais seguidores. Preocupem-se com novas formas de evangelizar para atingir aqueles que estão afastados de Deus; do que se estão recebendo comentários. Gastem seu tempo criando dinâmicas, roteiros, métodos inovadores; e não “selinhos” de divulgação. Leiam com atenção tudo que encontrarem e assim saberão de que “doutrina” o texto está falando. E conversem, partilhem sempre, apóiem-se, elogiem as práticas vitoriosas, divulguem projetos... E para isso não é necessário normas, regras e nem “selinhos”.


E gostaria também que lessem um outro texto sobre o “pagerank” do Google. A nota que a internet dá para seu site/blog. Muito interessante. Está publicado no post anterior.



Escrito por Angela Rocha às 16h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Qual a nota do meu blog na web?

Estou na web há três anos com um blog. Apesar de ser catequista e católica atuante, meu blog não é de catequese. Ele é um espaço que utilizo para expressar minhas opiniões, divulgar meus textos e falar da minha vida de mãe, esposa, agente de pastoral, catequista e pessoa que, longe de estar simplesmente no mundo, quer estar COM o mundo. E sei que com as mensagens de vida que partilho, evangelizo um pouco também. Mas não sou exemplo perfeito de nada. Por isso me denomino “amadora”

 Considero-me realizada com meu “espaço” aqui na internet. Nunca fiz promoção ou distribui selos por aí, nem faço propaganda explícita do blog. Hoje tenho quase 70 mil acessos, em média 100 pessoas acessam meu blog todos os dias. Já tive 1.400 comentários nos meus posts e não tenho idéia do número de seguidores porque o UOL não tem essa ferramenta. Sei que tenho leitores fiéis porque recebo muitos e-mails, recados e fiz inúmeras amizades por esse Brasil afora, por meio daquilo que escrevo.

No meu primeiro ano de blog recebi um selo de “Blog Legal” que o UOL distribui aos seus usuários, por indicação de leitores, interação com outras sites e outros requisitos. Para isso não precisei distribuir selo, indicar ninguém e nem me comprometer a nada. 

Meu pagerank (nota) no Google é 3, coisa que posso considerar excelente pois a maioria dos blogs sequer é considerada lá. Meu blog nem é do Blogger, que é uma ferramenta deles.

Mas o que é pagerank? Até já divulguei num post certa vez. Mas vamos lá, acho que será útil aos meus amigos que, como eu, se atrevem a ter um blog.

PageRank é a forma pela qual o Google procura representar a importância que um site, ou página, tem para ele (Google) frente a Internet. Basicamente o PageRank é uma avaliação da relevância da página. Essa relevância é divulgada em uma escala de zero a 10. Para calcular o valor do PageRank, o Google considera basicamente a quantidade de links que a página recebe. Funciona de modo semelhante a uma eleição, onde cada link  é como um voto endossando a qualidade da página que recebe o link. Mas não basta ter uma grande quantidade de links para ter um Pagerank alto, a relação semântica entre as páginas é importante, bem como a própria relevância da página que faz o link.

Explicando a coisa de maneira mais simples. É mais ou menos como se você jogasse futebol e quer saber o quão bem você está jogando. Se vários amigos seus (pernas-de-pau) falam que você joga bem, não importa muito. Eles não tem autoridade para falar de futebol. Inclusive, as pessoas podem até concluir que você joga mal, por somente pernas-de-pau falarem de você. Por outro lado, se o Ronaldinho e o Pelé falarem que você joga bem, então a relevância do seu futebol fica realmente aumentada.

Associe o fato de “falar de você” com os links que um site recebe. Se páginas de maior importância (maior PageRank) tem links para seu site, maior as chances de seu site subir o PageRank. E o fato de vários sites de menor relevância apontarem para o seu (apontar é ter um link para o seu site) não o ajuda tanto.

Outro fato é a associação dos conteúdos, a relação semântica. Voltando ao exemplo do futebol: se a Gisele Bundchen fala que você joga futebol muito bem, isso não conta quase nada dentro da comunidade de futebol, pois a Gisele Bundchen é especializada em moda, não em futebol. Se fosse um palpite sobre moda, seria de grande relevância. Mas, apesar de ser muito bem conceituada em beleza e moda, as palavras dela não tem muito peso sobre futebol. Isso também se aplica ao PageRank. Não ajuda muito a Adobe (que tem pagerank 10) fazer links para um site de futebol – os conteúdos são totalmente diferentes.

Portanto, aumentar o PageRank do seu site depende, basicamente, de conseguir mais links para ele, porém, não adianta conseguir links quaisquer.  É importante que sejam links de sites de qualidade e semanticamente relacionados ao seu , isso aos olhos do Google, esses são links que possuem muito valor para o cálculo do PageRank.

Como é que você descobre seu pagerank? É só acessar a ferramenta e inserir uma determinada URL, desta forma a ferramenta consulta no Google qual o valor do PageRank da URL pedida.

Clique na lateral do blog encima desta imagem:                    PageRank

Para calcular seu pagerank e adquirir o código do banner... Ou então use a ferramenta embaixo pra só calcular.



Escrito por Angela Rocha às 14h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Oração do dia...

BOM DIA!

 

Acordei meio revoltada hoje... deve ser porque ainda não fui à missa...

 

E quem me visita aqui, apesar de saber que costumo falar de tudo um pouco aqui na blogosfera, deve estar se perguntando por que me tramei a falar de "Auxílio-reclusão"...

 

Bom, tudo começou porque vi um comentário no Facebook. Para variar um pouco, sem propósito para o assunto em questão, preconceituoso, elitista e BURRO! Sim, porque é de uma burrice extrema emitir opinião sobre alguma coisa da qual você não tem conhecimento de causa. E mais, totalmente fora de hora.

 

Explico. Tratava-se de uma oração matinal que um amigo colocou no Facebook, dizendo o seguinte: Pai, faze-me solidário com os mais pobres deste mundo, e ensina-me a partilhar, de modo que chegue até eles a esperança e a alegria que Jesus veio nos trazer.”

Aí, um criatura sem noção diz o seguinte: “Acho que Ele te atendeu porque: bolsa família, salário maternidade, pensão pró-presidiário, depois do Lula e Dilma, fica tranquiiloo... hehehe.”

 

Vamos aqui tirar a burrice e a falta de informação e ficar só com o despropósito de uma pessoa... que no perfil se diz católico e, portanto, cristão... dizer que Deus já atendeu nossas preces dando benefícios sociais... Isso até poderia ser deixado de lado, porque na verdade a gente não tem responsabilidade sobre a alienação alheia.

 

Mas... Eu não posso agüentar as críticas que são feitas aos benefícios sociais concedidos pelo governo de um país como o nosso, com tantas diferenças sociais. Mais de 16 milhões de pessoas vivem em situação de extrema pobreza no Brasil. Pobreza mesmo!! De não ter seque um real de renda. Onde, como, quando, por que, um cristão pode ser contra ajudar os pobres? Eu, mesmo que não fosse católica ou cristã, quero um Brasil sem miséria!

 

De que forma se faz isso, a maneira como é feita, se são desviados recursos ou se o governo deveria “ensinar” a pescar ao invés de “dar peixe”; são assuntos que se resolve na urna e, pelo “nipe” da pessoa em questão, num bom banco de escola ou na wikipédia já que ela tem acesso à internet. Cultura e educação, acredito, resolveria metade dos nossos problemas.

 

E enquanto se discute o fato de que o governo gasta milhões, bilhões, trilhões dando de comer a vagabundo; é convenientemente esquecido que a pobreza é decorrente de vários fatores, os principais são os processos de globalização, a modernização dos meios de produção e a desigual distribuição da renda. Se um trabalhador é demitido e não encontra outro trabalho ele deixa de produzir e gerar renda para a família. Será que não ocorre que não existe “rio” pra todo mundo pescar?

 

E me revolta ainda mais quando “pseudo” intelectuais, imbecis e alienados jogam a “culpa” no governo Lula e agora, no governo Dilma. Ora, não basta nem ter a minha idade, basta ter vivido no ano 2000 e assistido uma vez ao Jornal Nacional para saber que o Programa Fome Zero teve origem no “Bolsa Escola”, primeiramente idealizado pelo prefeito de Campinas, do PSDB, em 1994 (baseado na ideologia do economista e educador, Cristóvam Buarque, do PDT). Em 2001 foi universalizado pelo governo de Fernando Henrique Cardoso, PSDB, e em 2003 foi incorporado ao Programa Bolsa-Família no governo Lula. Então, para quem tem “alergia” ao governo PT, não deveria ser difícil elogiar o programa, que nem sequer foi criado por esse partido.

 

E todos esses fatores me fizeram comentar justamente isso, que os programas não são “coisas” de Lula e Dilma... Que auxílio reclusão nem é coisa de governo nenhum, que auxílio-maternidade também. Que são conquistas, direitos do cidadão que RECOLHE valores à Previdência Estatal (INSS).

 

Mas não satisfeita, a criatura em questão insistiu em dizer que “a família da vítima de assassinato é que deveriam receber pensão...”. Mas, não satisfeita e entremeadas por outras bobagens, saiu a derradeira: “Ah! Sem falar que se o preso tem três filhos vai receber mais do que eu ganho em seis meses... hehe. Não gosto de ter que saber que sai do meu bolso isso tudo...

 

Em primeiro lugar, o auxílio-reclusão só é pago se o preso estava trabalhando e, portanto, recolhendo para a previdência. E qualquer pessoa que morre e é também um trabalhador, deixa a família recebendo pensão.  Em média 5% dos presos no Brasil recebem o auxílio. Os cálculos para pagamento do auxílio são baseados no salário de contribuição e não passam de R$ 852,00. Quantos filhos a pessoa tem, NÃO DETERMINA O VALOR DO AUXÍLIO.  E isso tudo, só sai do seu bolso se você PAGA IMPOSTO DE RENDA e não sonega nada, RECOLHE INSS e pede nota fiscal até do cachorro quente da esquina.

 

Refaço aqui a oração:

 

“Pai, dá a essas pessoas sem noção, o verdadeiro sentido do amor verdadeiro, que seu filho Jesus nos pediu: Fraternidade, igualdade, justiça. E um pouco de inteligência também se for possível.”



Escrito por Angela Rocha às 11h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


angela,foto
 
Angela Rocha
BRASIL, Sul, LONDRINA, Mulher, de 36 a 45 anos, Portuguese, English, Livros, Música, Catequese
Outro - e-mail: angprr@uol.com.br
Histórico
    Categorias
      Todas as Categorias
      Link
      Citação
      Textos
    BLOGS QUE INDICO
      BLOG DO PAULO (Filhão! Meu claro...)
      Catequese e Biblia -CNBB
      catequistapontocom
      Viagem teen
      Conforto e equilíbrio
      Vinde todos evangelizar
      Catequese São José
      Amando a catequese
      Blog da Edimeli
      Catequistas Unidos
      Catequese Rainha Santa Isabel
      Bíblia on line
      Portal de Catequese Católica
      Então vamos pensar
      BANDFOTO - Marcos Arruda
      Padre Zezinho
      Catequisar.com
      Catequese - Jorge
      Diocese de Guarapuava
      CNBB
      Catolicanet
      Projeto Releituras
      Pasta UOL MAIS Angela
      Oficina da Criatividade
      Desmancha pontos
      Vinde e Vede Jesus
      Respingos do cotidiano
      CEBI - Centro de Estudos Bíblicos
      Catequese Salto Grande
      BLOG CATEQUESE - EDITORA VOZES
      Blog da Moema
      Quero ser comunidade
      Blog da Clara
      Portal da Família
      Sou Catequsita de IVC
      Jardim da Fé
      Paroquia N Sra Auxiliadora - Londrina
      Cheiro de flor quando ri
      Lectionautas Brasil
      Catequista semeando amor
      Para Jesus Comics
    Votação
      Dê uma nota para meu blog


    PageRank




    Translate to english the blog

    Angela Rocha

    Criar seu atalho